Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correio de Torroselo

Defensor dos interesses de Torroselo, de Seia e da Região da Beira Serra

Correio de Torroselo

Defensor dos interesses de Torroselo, de Seia e da Região da Beira Serra

Faleceu o Dr. Luís Alves Martins

Faleceu hoje em Lisboa, cidade onde residia, o dr. Luís Augusto Rodrigues Alves Martins. 

Era filho do professor Luís Gonzaga Alves Martins e da professora Dª Armanda Rodrigues Martins, ambos falecidos.

O dr. Luís, o Luísinho do sr. professor como carinhosamente era tratado, era um dedicado torroselense, e visitava a nossa terra com frequência.

Foi durante alguns anos presidente da Mesa da Assembleia  Geral da Banda Torroselense Estrela de Alva, e actualmente desempenhava o mesmo cargo na Associação de Beneficência e Solidariedade Social de Torroselo. Era colaborador assíduo do "Jornal Torre do Selo", 

A nossa terra perdeu mais um bom filho, que mesmo não tendo nascido em Torroselo, sentia e amava  a nossa terra como todos os bons torroselenses.

O  corpo estará em Câmara Ardente na Capela de São Bento a partir das 12 horas, amanhã, dia 1 de Dezembro.

O funeral, a cargo da Agência Funerária Brito, realiza-se pelas 16 horas para o cemitério paroquial de Torroselo.

Aos seus familiares, esposa, filhos, irmãos  e sobrinhos envio os meus sentidos pêsames.

Recordar o futebol em Torroselo e Folhadosa

untitled.JPG

 

Em 16 de Maço de 1989, noticiava a A Comarca de Arganil, que "na sua recente deslocação a esta localidade para disputar um encontro de futebol a contar para o campeonato distrital da 2ª divisão da Guarda, o grupo representativo da vizinha freguesia de Torroselo, nas pessoas dos seus directores, jogadores e acompanhantes, foi recebida pelos folhadosenses com manifestações de amizade e simpatia, o que, aliás, é timbre das gentes de Folhadosa.

Este facto não passou despercebido à direcção do grupo visitante, que, num gesto, infelizmente  já pouco habitual, apresentou os seus agradecimentos à sua congenere de Folhadosa e aos seus habitantes, em carta que lhe dirigiu".

Sabe sempre bem ler estes apontamentos que, embora com alguns anos, mostram e confirmam as boas relações de amizade e de proximidade que existe entre as gentes de Torroselo e Folhadosa, agora reforçadas na União das Freguesias de Torroselo e Folhadosa. A amizade entre os povos continua, mas o futebol, esse, há muito que deixou de ser uma realidade nas nossas terras.

Para matar saudades das gentes mais ligadas ao futebol, fica, para memória futura, a equipa de Torroselo da época de 1971.

seixo face.jpg

 

As Festividades de Natal estão a chegar a Seia

Abertas as inscrições para o Mercadinho de Natal 

Começou a contagem decrescente. Nos dias 17 e 18 de dezembro, a autarquia volta a promover as já habituais Festividades de Natal. A iniciativa tem lugar no Largo da Câmara, das 10h30 às 18h, e conta mais uma vez, com a realização de um Mercadinho de Natal, para além de uma programação repleta de atividades direcionadas para os mais novos. Cenários com a Casa do Pai Natal, a Oficina dos Duendes e Frozen – o Reino do Gelo dão vida ao imaginário do Natal.

A participação no Mercadinho de Natal carece de inscrição, a qual deve ser feita até ao dia 2 de dezembro, através do preenchimento do formulário (no final da página), que deverá ser entregue na Câmara Municipal - diretamente no Gabinete de Apoio à Vereação - ou através de um e-mail paraturismo@cm-seia.pt.

São muitos os motivos para visitar o concelho de Seia na época natalícia que se aproxima. Fique atento ao desvendar das novidades que temos para si!

in CMS

Município de Seia

Já há neve na Serra da Estrela

Bastante neve toda a semana.

Já começou a nevar nas zonas mais altas com alguma intensidade. Caso se venham a confirmar as últimas previsões a Serra vai ficar bem composta de neve ao longo da semana. No próximo fim de semana vai estar tempo relativamente calmo e pode ser uma excelente oportunidade para desfrutarem da neve. É uma semana propícia a alterações de pormenor nas previsões. Estejam atentos a futuras actualizações.

Lamento que cada vez que cai neve os títulos das noticias sejam sobre a estrada da Torre encerrada. Sugiro aos senhores jornalistas que usem títulos mais apelativos tipo " Neve  embeleza a Serra da Estrela", "Já há neve na Serra da Estrela", "Visite a Serra da Estrela com neve de forma segura". A Serra da Estrela é muito mais do que a estrada da Torre, é inevitável estar fechada quando neva com vento. Há sempre outros locais para desfrutar da neve em segurança. É tempo de se acabar com a paranóia da estrada encerrada. Com ou sem estrada aberta a Serra da Estrela é sempre bela. Com a neve ainda fica mais bonita.

in http://vitorbaiameteo.pt/torre/

Resultado de imagem para neve na serra da estrela

foto da net

 

Festa de São Bento 2001

recordar 053.jpg

recordar 052.jpg

recordar 051.jpg

recordar 050.jpg

Festa de São Bento 2001

Embora as imagens não estejam nas melhores condições de nitidez, não quis deixar de partilhar convosco esta recordação da nossa terra, Torroselo.
Em São Bento, frente ao coreto, a Banda prepara-se para terminar mais uma actuação. De costas, dá para reconhecer o José Minhoto, Luís Baptista (Lisboa) grande amigo da terra, de todos nós e da Filarmónica, e Paulo Paredes. O porta estandarte é o jovem Sérgio Figueiredo.

A Banda de Torroselo em 2003 na festa de Santo António na Bobadela - Oliveira do Hospital

recordar 044.jpg

recordar 046.jpg

recordar 047.jpg

recordar 048.jpg

recordar 049.jpg

 Em Junho de 2003, a Banda Torroselense Estrela de Alva deslocou-se a Bobadela - Oliveira do Hospital, para abrilhantar a festa em honra de Santo António. O maestro era Paulo Paredes, e José Albano e Eduardo Costa os dirigentes, que acompanham a Banda nesta deslocação.
Eu estava lá, não como músico, que nunca fui, mas como torroselense que gosta das filarmónicas e da sua Banda!

Desfile Nacional de Bandas Filarmónicas

ADIRA E DIVULGUE!
VAMOS ENCHER A AVENIDA DA LIBERDADE

O Movimento 1º de Dezembro lançou a ideia deste grandioso Desfile e mobilizou por todo o país, com o apoio dos seus delegados e da Confederação Musical Portuguesa, diferentes bandas e municípios para o efeito. É possível realizá-lo graças ao apoio da Câmara Municipal de Lisboa e à capacidade de organização da EGEAC. A iniciativa conta também com o endosso da SHIP - Sociedade Histórica da Independência de Portugal, que o incluiu no Programa Oficial das Comemorações do 1º de Dezembro. Agradecemos também o apoio facultado pelo Recheio e pelo Amanhecer.

O Desfile Nacional de Bandas Filarmónicas "1º de Dezembro" foi um êxito em 2012, 2013, 2014 e 2015. Será êxito maior em 2016.

14h30 - Concentração junto ao Monumento aos Mortos da Grande Guerra, na Avenida da Liberdade (ao Cinema S. Jorge)
15h00 - Início do Desfile
16h30 - Concentração final, na Praça dos Restauradores, e Apoteose Final com interpretação conjunta por 1.700 músicos dos três hinos: Hino da Maria da Fonte, Hino da Restauração e Hino Nacional.
17h00 - Fecho e desmobilização das bandas

Nesta 5ª edição, desfilarão as seguintes bandas e grupos, aqui ordenados por géneros e por ordem alfabética dos distritos e concelhos respectivos:

GRUPOS DE PERCUSSÃO:
Tocá Rufar (Seixal)
Grupo de Bombos de Atei (Mondim de Basto)

BANDA NACIONAL:
Banda do Exército

BANDAS FILARMÓNICAS:
Banda da ACULMA (Marvila, Lisboa)
Sociedade Filarmónica União e Progresso Madalense (Madalena do Pico, Açores)
Banda Musical Santiago de Lobão (Santa Maria da Feira)
Banda da Sociedade Filarmónica União Mourense "Os Amarelos" (Moura)
Banda Filarmónica de Santa Maria de Bouro (Amares)
Banda Marcial de Arnoso (Vila Nova de Famalicão)
Associação Filarmónica Recreativa e Cultural do Brinço (Macedo de Cavaleiros)
"Banda de Música 1º de Maio (Associação de Socorros Mútuos dos Artistas Mirandelenses) (Mirandela)
Associação Filarmónica Retaxense (Castelo Branco)
Filarmónica Recreativa Cortense (Covilhã)
Sociedade Filarmónica Oleirense (Oleiros)
Sociedade Filarmónica de Educação e Beneficência Fratelense (Vila Velha de Ródão)
Sociedade Musical Recreativa Instrutiva e Beneficente Santanense (Figueira da Foz)
Sociedade Filarmónica Sangianense (Oliveira do Hospital)
Banda Filarmónica da Casa do Povo de N.ª Sr.ª de Machede (Évora)
Banda Musical de Tavira
Banda Academia de Santa Cecília (de São Romão) (Seia)
Sociedade Musical Estrela da Beira (Seia)
Sociedade Filarmónica Maiorguense (Alcobaça)
Sociedade Filarmónica Pedroguense (Pedrógão-Grande)
Associação Musical de Cabanas de Torres (Alenquer)
Sociedade Filarmónica 1º de Dezembro da Encarnação (Mafra)
Banda Juvenil do Município de Gavião
Sociedade Musical Euterpe de Portalegre
Banda de Música de S. Vicente de Alfena (Valongo)
Sociedade Filarmónica União Maçaense (Mação)
Sociedade Filarmónica Gualdim Pais (Tomar)
Sociedade Filarmónica Incrível Almadense (Almada)
Banda Filarmónica da Associação Musical de Vila Nova de Anha (Viana do Castelo)
Sociedade Filarmónica Fraternidade de São João de Areias (Santa Comba Dão)
Banda Musical 81 de Ferreirim (Sernancelhe)

Será um total de 34 entidades, integrando 2 grupos de persussão, 1 banda nacional militar e 31 bandas filarmónicas civis.

Serão cerca de 1700 músicos, provenientes dos mais diversos pontos do país que irão descer a Avenida da Liberdade, para celebrar Portugal, a Independência e a Restauração através de uma merecida homenagem a esta prática musical e à importante acção formativa e cívica das bandas filarmónicas.

Tendo como ponto de partida o monumento aos Mortos da Grande Guerra, o desfile descerá até à Praça dos Restauradores para uma interpretação conjunta final das Bandas participantes sob a direcção do Maestro Tenente Duarte Cardoso, da Banda do Exército.

Ao longo do desfile, serão interpretadas várias marchas, bem como o Hino da Restauração. O alinhamento do momento colectivo conta também, além do Hino da Restauração, com a interpretação dos Hino da Maria da Fonte e Hino Nacional.

Assim não chova! Será um grande sucesso.

Aldeias abandonadas! As casas morrem de pé.

Estas imagens bem podiam ser da nossa terra, mas não, são de outras aldeias que, tal como a nossa, caminham para o despovoamento em larga escala.

Seixo 044.jpg

Os donos há muito que partiram para a última viagem, os herdeiros emigraram, e a casa caminha para a derrocada.

Seixo 084.jpg

No nº 29 desta ruela, a caixa do correio teima em manter-se pronta para receber as cartas que o carteiro há muito deixou de trazer.

Seixo 085.jpg

Mesmo sem ninguém por ali, os arbustos continuam verdes e viçosos. A Natureza encarega-se de os regar, e deles cuidar.

Seixo 086.jpg

Nem galinhas nem reco resistiram nesta casa. A loja do reco, bem como o galinheiro, ainda se mantêm, mas não há, por aqui, sinais de vida humana ou animal.

Esta é a realidade do país rural, o nosso país!

Seixo 062.jpg

 Nem só de casas degradadas e abandonadas se fazem as aldeias. Continua a haver bonitas e agradáveis moradias, mas infelizmente, estão desabitadas na maior parte dos meses do ano. São de emigrantes, que mesmo longe do torrão natal, não esquecem o lugar que lhes serviu de berço. Regressam sempre no Verão, e dão mais vida às aldeias.

A Última Taberna de Torroselo

recordar 017.jpg

recordar 023.jpg

Era aqui, na Avenida da Beira, que existia a última Taberna de Torroselo. Os seus proprietários, Luís Mendes Brás e esposa, Ana Beatriz, decidiram há algum tempo pelo seu encerramento. Conhecida pela taberna do Luís Brás, foi durante muitos anos ponto de encontro de várias gerações de torroselenses. Com o seu encerramento, Torroselo, e as suas gentes, perderam um local de convívio e, onde ainda era possível, saborear uma bebida. A Avenida da Beira está mais pobre, sem moradores, sem comércio e sem perspectivas de voltar a ter.