Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Maio 2017

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031


Pesquisar

 


Contas de 2016 da Câmara de Seia aprovadas por maioria com redução ‘histórica’ do endividamento

Terça-feira, 02.05.17

seiacapital.JPG

 


O relatório de gestão, que já havia sido aprovado em reunião do executivo municipal, foi validado em Assembleia Municipal por uma larga maioria. Um documento financeiro que espelha, com grande clareza, o compromisso assumido na consolidação do equilíbrio financeiro, que se tem vindo a verificar nos últimos anos.

Durante a sua apresentação, Filipe Camelo, referiu que “apesar do contexto ainda pouco favorável, o município apresenta resultados positivos, evidenciando a consolidação do equilíbrio financeiro”, decorrente da aposta estratégica na contenção das despesas e seletividade do investimento.

Em termos globais, destaca-se um saldo de gerência de um milhão e seiscentos e quarenta mil euros, uma execução da receita que ultrapassa os 100% e um aumento das despesas de capital, com o investimento a crescer 12,58%.

O autarca frisou que “para alcançar a situação económico-financeira estável de que o município goza, através da redução efetiva do endividamento e do equilíbrio orçamental positivo, muito contribuiu a gestão equilibrada de longo prazo que tem vindo a ser feita, cujo ciclo se iniciou em 2009, assente na redução dos custos da estrutura e nos ganhos de eficiência, bem como na renegociação oportunamente realizada com as instituições financeiras no âmbito do Plano de Reequilíbrio Financeiro em curso.

Em 2009, quando o atual executivo tomou posse, o ano fechou com um endividamento superior a 71 milhões de euros, situando-se agora abaixo dos 50 milhões de euros, sem que o município tivesse deixado de assegurar os compromissos assumidos e lançando mesmo novos projetos. Um desempenho financeiro notável, tomando em consideração os aspetos relativos à evolução da dívida, que só no ano transato regrediu em 3,9 milhões de euros.

Este desempenho permitiu o crescimento em 15 % das verbas transferidas para as Juntas/Uniões de Freguesia, ampliar o amplo pacote de apoios sociais, bem como outros incentivos, de que são exemplo as minorações aplicadas ao nível do IMI, o não aumento das taxas e tarifas dos serviços prestados pelo Município ou o reforço das medidas criadas no âmbito do apoio à economia e ao emprego, consubstanciadas no programa "Seia, Empreende e Inova".

Também as coletividades e instituições do Concelho, nos domínios social, cultural e desportivo, puderam, igualmente dispor dos apoios financeiros que o Município coloca, anualmente, à sua disposição, no sentido de cumprirem com a sua missão.

Concluindo, o presidente da Câmara, lembrou que a redução dos níveis de endividamento, permite continuar a libertar recursos para o aumento gradual do investimento público, favorecendo a adoção de mais e novas políticas públicas que incrementem a qualidade de vida da comunidade e tornem o Concelho mais atrativo e competitivo e em condições de executar com grande eficácia os investimentos programados no âmbito do Portugal 2020.

Texto: CMS

Foto: correio de torroselo

Autoria e outros dados (tags, etc)

por António Madeira às 21:52


Comentários recentes