Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correio de Torroselo

Defensor dos interesses de Torroselo, de Seia e da Região da Beira Serra

Correio de Torroselo

Defensor dos interesses de Torroselo, de Seia e da Região da Beira Serra

15/03/19

ANIVERSÁRIO DA FILARMÓNICA FLOR DO ALVA

vila 1.jpg

vila 2.jpg

A Flor do Alva tem a honra de notificar e informar que, no próximo dia 7 de abril, domingo, irá celebrar o seu aniversário.

O almoço será servido na Casa do Povo de Vila Cova de Alva, às 13h. Seguidamente, teremos um concerto, às 15h e, às 16h30, iremos em serviço realizar a Procissão dos Passos, também em Vila Cova.

Sao 101 anos de vida, de trabalho, de amizades, de dedicação e esforço por parte de gerações. Nada disto seria possível sem o empenho das nossas gentes, por esse motivo, contamos consigo no nosso almoço, que poderá confirmar nos contactos inscritos no cartaz.
Fonte: https://www.facebook.com/aflordoalva

12/03/19

Falecimento

lurdes.jpg

Faleceu hoje, 12 de Março, aos 85 anos,  Lurdes de Campos Caetano.

O corpo repousa em câmara ardente na Capela de São Bento onde haverá as cerimónias funebres.

O funeral a cargo da Agência Funerária Brito, de Oliveira do Hospital, tem lugar amanhã, 13, pelas 14,30 horas para o cemitério local.

Aos seus familiares endereço os meus sentimentos.

 

10/03/19

Recordações de Lisboa

Lisboa Natal 021.jpg

Neste edifício funcionou durante cerca de 50 anos a Tabacaria/Papelaria Caravela. Encerrou as portas em 30 de Dezembro de 2005. Foram 27 anos a trabalhar  neste local, nesta empresa, que era uma referência no comércio tradicional.

Políticos, ministros, presidentes da Republica, jornalistas e tantas outras figuras conhecidas faziam parte da vasta e diversificada clientela da Caravela.

De lá para cá muitas são as lojas tradicionais da baixa de Lisboa que encerraram. Creio que nenhuma o fez por motivos económicos ou laborais. Os interesses são outros...

Lisboa Natal 022.jpg

Vista parcial do Rossio, a sala de visitas de Lisboa. Tudo que acontece, acontece no Rossio. 

Nos anos 70 do século passado o Rossio era ponto de encontro de retornados, refugiados e desalojados.

No passeio junto ao Nicola o local era maioritariamente frequentado por portugueses e angolanos.

Em frente, junto à Pastelaria Suíça era mais moçambicanos e portugueses, já no Largo de São Domingos era quase e só guineenses.

Vendia-se de tudo,  divisas,  outras coisas menos recomendadas, recordações de África que alguns conseguiram trazer para a então Metropole e matavam-se a dor e a  saudade de uma terra que  que os viu partir  sem voltar.

Lisboa Natal 025.jpg

Rua Augusta, as esplanadas dos cafés, restaurantes e comida rápida substituiu muitas e tradicionais lojas de comércio tradicional.

Lisboa Natal 034.jpg

Edifício dos Grandes Armazéns do Chiado, local ocupado pela FNAC.

Uma particularidade, os Armazéns do Chiado foram fundados em 1894 por um grupo empresarial francês, mas em 1904 (?) foram adquiridos pelos irmãos Nunes dos Santos, oriundos do Barril de Alva - Arganil. Nesta localidade fundaram uma filial dos referidos armazéns. Ali se vendia quase tudo. Para além de tecidos, vendiam-se materiais de construção, artigos de mercearia, bebidas e outros. 

Lisboa Natal 064.jpg

Paços do Concelho de Lisboa, neste local o ilustre torroselense Dr. José Maria da Costa Brandão desempenhou as funções de Notário Privativo da Câmara Municipal de Lisboa.

08/03/19

Ação de reflorestação na Mata do Desterro

senhora do desterro 056.jpg

senhora do desterro 004.jpg

Meio milhar de árvores autóctones vão ser plantadas em área protegida, afetada pelos incêndios de outubro de 2017.

 

O Município de Seia, através do CISE – Centro de Interpretação da Serra da Estrela e do Serviço Municipal de Proteção Civil, a União das Freguesias de Seia, São Romão e Lapa dos Dinheiros e o Movimento de Cidadãos Por uma Estrela Viva vão promover, este sábado (dia 9 de março), uma ação de reflorestação na Mata do Desterro.

A ação traduzir-se-á na plantação de cerca de 500 carvalhos alvarinho e negral, espécies endógenas da região, incidindo numa área particularmente afetada pelos incêndios, na Mata do Desterro (Senhora do Desterro), onde se realizaram os trabalhos de estabilização dos solos, no inverno de 2017/2018.

Na altura, a iniciativa permitiu a minimização da erosão dos solos, que em muito contribuíram para a proteção da bacia de drenagem onde é recolhida a água para abastecimento público, criando por sua vez condições para a recuperação dos espaços florestais, como está subjacente nesta ação.

À semelhança de outras iniciativas que têm vindo a ser desenvolvidas neste âmbito, a reflorestação está aberta à participação de todos os que pretendam colaborar, numa ação de voluntariado, encontrando-se limitada a um máximo de 35 pessoas.

A organização aconselha o uso de botas, agasalho, impermeável, luvas de trabalho, bem como um pequeno lanche e água. A participação na reflorestação inclui seguro, sendo o transporte da responsabilidade dos participantes. O ponto de encontro será junto ao Coreto, na Senhora do Desterro.

Texto: CMS

Fotos: António Madeira

27/02/19

VIDE que te quero VERDE !

 


 

O Movimento de Cidadãos por Uma Estrela Viva vai realizar, no próximo Sábado, 2 de Março, mais uma acção de reflorestação. Desta vez será na Vide (Seia), em parceria com a União de Freguesias local.

A concentração está marcada para as 14H30, no Largo da Feira(Vide).
 

Inscreve-te aqui, traz um amigo e ajuda-nos a divulgar!

Uma Estrela Viva precisa de todos!

Em que consistirá a acção?
A concentração terá lugar às 14H30, no Largo da Feira (Vide). Após a recepção aos participantes serão formadas equipas de trabalho que rumarão aos terrenos a reflorestar. Ao longo da tarde, com a ajuda de todos, esperamos plantar entre 400 a 500medronheiros e quase uma centena de sobreiros numa das encostas sobranceiras à aldeia. Serão ainda entregues cerca de uma centena de freixos e 150 carvalhos alvarinho a uma comunidade local e ao CISE, respectivamente, para plantação em data posterior. No final, haverá lanche comunitário na sede da União de Freguesias de Vide e Cabeça.

Como participar?
Para participar basta preencher, até 28 de Fevereiro, o formulário de inscrição(gratuita) e comparecer, no dia 2 de Março pelas 14H30, no Largo da Feira (Vide). É recomendável trazer roupa e calçado adequado (ex: botas) bem como luvas de jardinagem. A acção é aberta à participação de menores desde que acompanhados por adultos. Todavia, dada a inclinação do terreno, não é recomendável a participação de crianças pequenas ou de pessoas com dificuldades de locomoção.

Porquê na Vide?
A Freguesia da Vide, situada no vale da Ribeira de Alvoco (limite sul do concelho de Seia), na transição da Serra da Estrela para a Serra do Açor, é a freguesia mais afastada da sede de Concelho e por isso sujeita a forte isolamento. Ocupa uma vasta área (é a maior freguesia do Concelho de Seia) e, apesar da sua importância histórica (chegou a ser sede de concelho), tem vindo a perder população a ritmo aceleradoao longo das últimas décadas. Dos mais de 3 000 habitantes na década de 50, não restam hoje mais de 200. A este declínio não é alheia a substituição de uma economia rural baseada na produção agro-pecuária tradicional (oliveira, milho, centeio, batata) e na exploração da floresta nativa (castanheiro, sobreiro e azinheira – árvores originais, entretanto praticamente desaparecidas – mas também medronho e cogumelos) por uma economia baseada na monocultura de pinheiro bravo (para madeira e resina): o pinheiro bravo, que rapidamente se tornou a espécie dominante, tem entretanto vindo a ser severamente afectado por pragas (como o nemátodo) e, principalmente, pelo flagelo dos incêndios florestais (incluindo o de 2017) que assolam recorrentemente a região, deixando as encostas despidas, vulneráveis à erosão e ao repovoamento selvagem e desordenado por espécies invasoras e de fraco valor económico.

Porquê medronheiros?
O Medronheiro é uma espécie autóctone da região e uma das espécies que constituem a floresta primitiva da Península Ibérica. Adapta-se bem a diferentes solos e climas (com preferência por solos siliciosos de montanha), resiste bem à seca, a altitudes elevadas e.. ao fogo (tem, aliás, grande capacidade de regeneração após incêndios). O seu potencial económico é igualmente muito interessante, podendo o fruto ser consumido fresco ou usado, por exemplo, na produção da conhecida aguardente de medronho. Localmente, na região da Vide, o medronheiro era, até meados do século XX, bastante abundante, desempenhando a recolha do seu fruto um papel importante para a economia local e para a subsistência das populações. A produção anual de aguardente de medronho na região da Vide chegou a rondar os 60 000 litros e, ainda hoje, a apanha de medronho constitui uma actividade de relevo nalgumas aldeias da região.
    
A acção de reflorestação do próximo Sábado não resolverá estes problemas. Mas representará um contributo. E, acima de tudo, um rumo: 🌳 “VIDE que te quero VERDE” 🌳

Quem nos ajudou?
A acção de reflorestação “VIDE que te quero VERDE” é organizada pelo Movimento de Cidadãos por Uma Estrela Viva em parceria com a União de Freguesias de Vide e Cabeça e o Conselho Directivo dos Baldios da Freguesia de Vide. Conta ainda com um amplo leque de apoios, sem os quais esta não seria possível: a Associação Flor de Murta, de Palmela, e o Instituto Superior de Agronomia, de Lisboa, que em boa hora nos contactaram para a cedência de árvores autóctones; os “nossos”Padrinhos, angariados no Festival do Bosque e no Mercadinho de Natal; e, em particular, o casal “ibérico” Carolina Balão da Silva e Alejandro Chamizo de Castrol(e o António Villafaina Barroso, que intermediou o contacto), que há um ano decidiram trocar a oferta de brindes simbólicos aos convidados do seu casamento por árvores para esta Montanha que é de todos. A todos, o nosso MUITO OBRIGADO!
    
Junta-te a nós, vamos celebrar e ajudar a cobrir de verde a nossa montanha!

Por uma Estrela Viva!

 

26/02/19

Município de Gouveia organiza mais uma edição da ExpoSerra

 

 

exposerra_teaserprg.jpg

 

 

De 01 a 05 de março, a cidade de Gouveia acolhe mais uma edição da ExpoSerra – Feira das Atividades Económicas da Serra da Estrela.

 

Em 2019, a ExpoSerra cumpre mais uma edição em que irá promover as atividades económicas e valorizar o tecido empresarial, os produtos endógenos, o artesanato, o turismo de natureza, as tradições e cultura do concelho de Gouveia e da Serra da Estrela.

O maior certame de negócios e produtos regionais da Serra da Estrela tem como principais objetivos a comercialização e promoção de produtos endógenos e do artesanato, enquanto marcas identitárias regionais e a promoção do território do concelho de Gouveia e da região da Serra da Estrela.

A ExpoSerra irá decorrer de 01 a 05 de março e contará, à semelhança das outras edições, com grandes nomes da música portuguesa, que farão a animação do evento.
Na sexta-feira, dia 01 de março, o certame contará com o momento musical dos HI-FI, no dia 02 de março os Vira Milho irão animar a noite de sábado, no domingo dia 03 de março, irá realizar-se a tradicional Feira do Queijo, a Safira será a rainha do Carnaval e nesse mesmo dia o palco da ExpoSerra recebe o grande nome da música portuguesa José Malhoa. Na segunda-feira, 04 de março, terá lugar o baile de Carnaval com a Banda Lux. No último dia do certame, 05 de março, a tarde será dedicada aos mais pequenos com o musical “Alice no País das Maravilhas”, seguido do tradicional Enterro e Queima do Entrudo que encerram a programação.
Em conjunto com o certame económico irão decorrer também as atividades do Carnaval da Serra: o desfile pedagógico, a realizar no dia 28 de fevereiro; a tradicional Feira do Queijo e o desfile de Carnaval, no dia 3 de março (“domingo gordo”); o baile de carnaval no dia 4 de março; e, a encerrar a programação da Feira e do Carnaval da Serra, a tradicional Queima do Entrudo, a realizar no dia 5 de março.

Nesta edição, devido ao facto de o Mercado Municipal de Gouveia ter sido transferido para o Pavilhão da Ex. Bellino & Bellno, o espaço da realização do certame será substancialmente menor, o que se deverá refletir no número de expositores que o evento poderá receber. No entanto, isso não deverá prejudicar a qualidade da feira, cujo conceito deverá ir mais de encontro aquele que foi originalmente definido: o da promoção de produtos endógenos, artesanato e turismo de natureza. Assim sendo, esta edição da ExpoSerra irá disponibilizar cerca de 70 stands promocionais para empresas e outras entidades destes ramos de atividade.

Fonte: CMG

15/02/19

Falecimento

atalaça.jpg

Faleceu na Suíça, aos 92 anos de idade, o senhor Alberto Mendes Figueiredo. Encontrava-se temporariamente na Suíça em casa da filha que, o levou, após o falecimento da sua esposa, Ana Lorenço Figueiredo. Torroselo vê partir mais um bom filho desta terra. Trabalhador, honesto, bom marido e bom pai, o senhor Alberto "talaça" deixa saudades em todos os que com ele conviveram e privaram.

O funeral, a cargo da Agência Funerária Brito, de Oliveira do Hospital,  realiza-se Domingo, pelas 9 horas para o cemitério paroquial de Torroselo

Aos seus filhos, netos e restante família endereço os meus sentimentos.

 

05/02/19

Falecimento

asao.jpg

Faleceu hoje, terça-feira, aos 71 anos de idade após longo sofrimento,  Maria da Conceição de Sousa Frias. A Sãozita Frias como carinhosamente era tratada por todos os torroselenses, era filha de José Frias e de Ana de Sousa, ambos falecidos, e irmã do José de Sousa Frias. 

O funeral a cargo da Agência Funerária Brito, de Oliveira do Hospital, tem lugar amanhã, quarta-feira, pelas 15 horas para o cemitério de Torroselo.

O corpo repousa na Capela de S. Bento.

Aos seus familiares, especialmente a seu irmão, Zé Frias endereço os meus sentimentos pedindo a Deus que a chame para junto de Si.

31/01/19

Sessão de esclarecimento sobre “Vespa asiática”

abc.jpg

 

O Município de Seia, em parceria com a Coopbei – Cooperativa apícola de Mangualde, vai promover no próximo dia 16 de fevereiro, às 14h, no CISE – Centro de Interpretação da Serra da Estrela, uma ação de sensibilização sobre a Vespa Velutina, vulgarmente designada por “Vespa asiática”.

 

A ação tem por objetivo alertar os apicultores e a população em geral para os perigos associados a esta espécie invasora, assim como para os cuidados a ter e transmitir os métodos mais eficazes para o seu combate.

O ciclo de vida da vespa velutina e técnicas de defesa dos apiários e maneio (pela Coopbei) e como identificar e destruir ninhos (SMPC - Serviço Municipal de Proteção Civil de Seia) são as temáticas abordadas nesta sessão de esclarecimento. Para o final, está programada uma oficina de construção de armadilhas para capturar vespas, onde serão entregues alguns exemplares, que entretanto o SMPC de Seia está a desenvolver.

O combate a esta espécie invasora está nas prioridades do Município, pelo impacto negativo que esta representa para as explorações apícolas do concelho e da região, comprometendo seriamente a produção de mel e seus derivados. Na área de intervenção, só em 2018, as equipas do Serviço Municipal de Proteção Civil do Município de Seia exterminaram cerca de 119 ninhos.

Fonte: CMS

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.