Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correio de Torroselo

Defensor dos interesses de Torroselo, de Seia e da Região da Beira Serra

Correio de Torroselo

Defensor dos interesses de Torroselo, de Seia e da Região da Beira Serra

16/04/19

Falecimento

carma.jpg

Faleceu aos 87 anos de idade Maria do Carmo Mendes Fernandes, viúva de Luís Sousa.

O funeral realizou-se no passado sábado para o cemitério paroquial.

A todos os seus familiares, nomeadamente os seus filhos, nora, genros e netos endereço os meus sentidos sentimentos.

Que Deus lhe dê o eterno descanso!

09/04/19

Município de Oliveira do Hospital envia ajuda para crianças de Moçambique

Festa de Santa Ana 021.jpg

Oliveira do Hospital 023.jpg

 

O Município de Oliveira do Hospital vai fazer chegar às vítimas do ciclone Idai, que atingiu Moçambique, mais de cinco mil peças de vestuário de criança e bebé.

Esta ação solidária para com as crianças moçambicanas, foi desencadeada no âmbito de uma missão de emergência lançada pela Associação Helpo – uma organização não governamental que está a dar apoio à missão do Instituto das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada, no Dombe, na bacia do Buzi, com o foco no acompanhamento e tratamento de mulheres grávidas, lactantes e crianças até aos 5 anos.

A entrega dos bens já foi confiada àquela ONG, que os fará chegar a Moçambique ainda durante este mês e, num gesto solidário, o transporte das paletes até ao norte do país foi efetuado graciosamente pela empresa oliveirense “Transoliveira”.

Esta operação de solidariedade para com o povo moçambicano, foi efetuada através do recurso a donativos recebidos pelo Município de Oliveira do Hospital na sequência da gigantesca onda de solidariedade dos portugueses para com as vítimas do trágico incêndio de 15 de outubro de 2017 e que, neste momento, já não fazem falta. (...)

Texto: site da CMOH

Fotos: António Madeira

05/04/19

Festas em Honra de S. Bento, Torroselo 2019

saobento.jpg

A festa em honra de S. Bento está aí! Faltam poucos dias para os torroselenese e outros amigos e vizinhos festejarem S. Bento.

Sempre que estes festejos acontecem a minha memória recorda com nostalgia e emoção tantos e tão bons torroselenses que, em Lisboa, dedicaram  muito do seu tempo e do seu conhecimento na campanha de angariação de donativos a favor da festa.

Dos anos que vivi em Torroselo as lembranças começam com o grande ensaio da Banda em sábado da Aleluia, não cabia mais ninguém na pequena sala de ensaios, todos queriam ouvir a nossa querida filarmónica, as amêndoas oferecidas pelo senhor Leonardo Pereira que eram distribuídas no Domingo, a alvorada de segunda feira, a Missa celebrada pelo saudoso padre dr. António Alves de Campos na Capela na  terça feira e, neste mesmo dia, a Banda percorria a aldeia para saudar os mordomos. Saudação essa que era retribuída com algumas delicias caseiras e uns copos de tinto. Sim, nessa época os músicos de então não bebiam sumos....

Na quarta feira pela manhã em excursões organizadas pelos saudosos amigos Manuel da Cruz "Forneiro" e Luís Baptista,  os torroselenses residentes em Lisboa regressavam à capital sendo notório em muitos deles a emoção e a saudade de deixarem a terra que amavam.

A nossa aldeia regressava à calma, serenidade e pacatez, até que Maio chegava, e com a festa das "Papas", Torroselo tornava a animar-se.

Festa de são Bento 118.jpg

Festa de são Bento 115.jpg

Páscoa 2011 022.jpg

Texto e fotos: António Madeira

29/03/19

FootPáscoa, Seia, 8 a 18 de Abril

Agosto - 2016 029.jpg

Agosto - 2016 036.jpg

 

Incutir hábitos saudáveis, com enfâse na aprendizagem e prática de várias modalidades desportivas, são alguns dos propósitos do programa de ocupação de tempos livres do Município promovido durante as férias escolares para crianças e jovens, dos 6 aos 15 anos.

 

De 8 a 18 de abril, o Estádio Municipal volta a receber crianças e jovens em mais uma edição do FootPáscoa. Do atletismo ao voleibol, passando pelo futebol, karaté, ténis e atividades gímnicas (Gym4all), o programa alia diversão e desporto num só, como são exemplo o “Footchampions”, os circuitos de agilidade, as dinâmicas de grupo, os jogos lúdicos e o desporto adaptado. O FootPáscoa inclui ainda uma tarde desportiva dedicada às crianças dos Jardins-de-Infância do concelho.

O desenvolvimento da maioria das modalidades contam, à semelhança do ano passado, com a colaboração das associações desportivas do concelho. Aceitaram o repto lançado pelo Município o Centro de Atletismo de Seia, o Sena Clube (no voleibol), o Grupo Gymnasticando (da Escola Secundária de Seia), o Seia Futebol Clube, a União de Karaté Shotokan das Beiras - Centro de Karaté de Seia e o Clube de Ténis de Seia.

O convite para participar no FootPáscoa constitui uma forma não só de envolver o associativismo, mas também de promover e destacar o trabalho desenvolvido por estas coletividades.

Por sua vez, como vem sendo hábito, o programa do FootPáscoa integra, ainda, uma campanha de colheita de sangue, promovida pelo Instituto Português do Sangue e da Transplantação, que este ano se realiza no dia 18 de abril, das 12h30 às 18:30h.

 

O FootPáscoa é promovido pelo Gabinete de Desporto da Câmara Municipal de Seia há 16 anos, consecutivos, e este ano decorre no período compreendido entre 8 a 18 de abril (dias úteis), das 9h às 12h e das 14h às 17h. As inscrições são gratuitas e podem ser efetuadas junto do Gabinete de Apoio à Divisão Sociocultural do Município de Seia, no Estádio Municipal ou nos Gimnodesportivos Municipais.

Texto: CMS

Fotos: António Madeira

21/03/19

CTT recolhem e enviam donativos dos portugueses para Moçambique

Praia das Chocas.JPG

ilha.JPG

 

Os CTT – Correios de Portugal, em parceria com os Correios de Moçambique, arrancam esta segunda-feira, dia 25, com uma ação de recolha de roupas nas Lojas CTT dos donativos dos portugueses para enviar para Moçambique.

Com a passagem do ciclone Idai milhares de moçambicanos foram afetados pelas cheias. A ajuda de todos é fundamental e, assim, os CTT estão a fornecer Embalagens Solidárias para que os portugueses possam enviar roupas para Moçambique.

Basta chegar a uma das 538 Lojas CTT espalhadas por todo o país, pedir uma Embalagem Solidária, colocar o donativo e o envio será realizado, de forma gratuita. Os portugueses podem contribuir com roupas, uma das grandes necessidades em Moçambique, segundo o pedido dos Correios de Moçambique.

Para Miguel Salema Garção, Diretor de Marca, Comunicação e Sustentabilidade, “Esta ação em colaboração com os Correios de Moçambique envolve todo o universo CTT, em particular a nossa rede de Lojas, que permite de forma ágil e dinâmica transformar esta ação num enorme sucesso contribuindo para ajudar as comunidades moçambicanas afetadas. Move-nos ajudar Moçambique!”

Os CTT aproveitam a forte capilaridade e proximidade às populações disponibilizando a sua vasta rede de lojas para fazer chegar os donativos dos portugueses a quem mais precisa.

A recolha de donativos nas 538 Lojas CTT decorre de 25 de março até 8 de abril.

Texto: Site dos CTT

Fotos: Pedro Madeira

15/03/19

ANIVERSÁRIO DA FILARMÓNICA FLOR DO ALVA

vila 1.jpg

vila 2.jpg

A Flor do Alva tem a honra de notificar e informar que, no próximo dia 7 de abril, domingo, irá celebrar o seu aniversário.

O almoço será servido na Casa do Povo de Vila Cova de Alva, às 13h. Seguidamente, teremos um concerto, às 15h e, às 16h30, iremos em serviço realizar a Procissão dos Passos, também em Vila Cova.

Sao 101 anos de vida, de trabalho, de amizades, de dedicação e esforço por parte de gerações. Nada disto seria possível sem o empenho das nossas gentes, por esse motivo, contamos consigo no nosso almoço, que poderá confirmar nos contactos inscritos no cartaz.
Fonte: https://www.facebook.com/aflordoalva

12/03/19

Falecimento

lurdes.jpg

Faleceu hoje, 12 de Março, aos 85 anos,  Lurdes de Campos Caetano.

O corpo repousa em câmara ardente na Capela de São Bento onde haverá as cerimónias funebres.

O funeral a cargo da Agência Funerária Brito, de Oliveira do Hospital, tem lugar amanhã, 13, pelas 14,30 horas para o cemitério local.

Aos seus familiares endereço os meus sentimentos.

 

10/03/19

Recordações de Lisboa

Lisboa Natal 021.jpg

Neste edifício funcionou durante cerca de 50 anos a Tabacaria/Papelaria Caravela. Encerrou as portas em 30 de Dezembro de 2005. Foram 27 anos a trabalhar  neste local, nesta empresa, que era uma referência no comércio tradicional.

Políticos, ministros, presidentes da Republica, jornalistas e tantas outras figuras conhecidas faziam parte da vasta e diversificada clientela da Caravela.

De lá para cá muitas são as lojas tradicionais da baixa de Lisboa que encerraram. Creio que nenhuma o fez por motivos económicos ou laborais. Os interesses são outros...

Lisboa Natal 022.jpg

Vista parcial do Rossio, a sala de visitas de Lisboa. Tudo que acontece, acontece no Rossio. 

Nos anos 70 do século passado o Rossio era ponto de encontro de retornados, refugiados e desalojados.

No passeio junto ao Nicola o local era maioritariamente frequentado por portugueses e angolanos.

Em frente, junto à Pastelaria Suíça era mais moçambicanos e portugueses, já no Largo de São Domingos era quase e só guineenses.

Vendia-se de tudo,  divisas,  outras coisas menos recomendadas, recordações de África que alguns conseguiram trazer para a então Metropole e matavam-se a dor e a  saudade de uma terra que  que os viu partir  sem voltar.

Lisboa Natal 025.jpg

Rua Augusta, as esplanadas dos cafés, restaurantes e comida rápida substituiu muitas e tradicionais lojas de comércio tradicional.

Lisboa Natal 034.jpg

Edifício dos Grandes Armazéns do Chiado, local ocupado pela FNAC.

Uma particularidade, os Armazéns do Chiado foram fundados em 1894 por um grupo empresarial francês, mas em 1904 (?) foram adquiridos pelos irmãos Nunes dos Santos, oriundos do Barril de Alva - Arganil. Nesta localidade fundaram uma filial dos referidos armazéns. Ali se vendia quase tudo. Para além de tecidos, vendiam-se materiais de construção, artigos de mercearia, bebidas e outros. 

Lisboa Natal 064.jpg

Paços do Concelho de Lisboa, neste local o ilustre torroselense Dr. José Maria da Costa Brandão desempenhou as funções de Notário Privativo da Câmara Municipal de Lisboa.

08/03/19

Ação de reflorestação na Mata do Desterro

senhora do desterro 056.jpg

senhora do desterro 004.jpg

Meio milhar de árvores autóctones vão ser plantadas em área protegida, afetada pelos incêndios de outubro de 2017.

 

O Município de Seia, através do CISE – Centro de Interpretação da Serra da Estrela e do Serviço Municipal de Proteção Civil, a União das Freguesias de Seia, São Romão e Lapa dos Dinheiros e o Movimento de Cidadãos Por uma Estrela Viva vão promover, este sábado (dia 9 de março), uma ação de reflorestação na Mata do Desterro.

A ação traduzir-se-á na plantação de cerca de 500 carvalhos alvarinho e negral, espécies endógenas da região, incidindo numa área particularmente afetada pelos incêndios, na Mata do Desterro (Senhora do Desterro), onde se realizaram os trabalhos de estabilização dos solos, no inverno de 2017/2018.

Na altura, a iniciativa permitiu a minimização da erosão dos solos, que em muito contribuíram para a proteção da bacia de drenagem onde é recolhida a água para abastecimento público, criando por sua vez condições para a recuperação dos espaços florestais, como está subjacente nesta ação.

À semelhança de outras iniciativas que têm vindo a ser desenvolvidas neste âmbito, a reflorestação está aberta à participação de todos os que pretendam colaborar, numa ação de voluntariado, encontrando-se limitada a um máximo de 35 pessoas.

A organização aconselha o uso de botas, agasalho, impermeável, luvas de trabalho, bem como um pequeno lanche e água. A participação na reflorestação inclui seguro, sendo o transporte da responsabilidade dos participantes. O ponto de encontro será junto ao Coreto, na Senhora do Desterro.

Texto: CMS

Fotos: António Madeira

27/02/19

VIDE que te quero VERDE !

 


 

O Movimento de Cidadãos por Uma Estrela Viva vai realizar, no próximo Sábado, 2 de Março, mais uma acção de reflorestação. Desta vez será na Vide (Seia), em parceria com a União de Freguesias local.

A concentração está marcada para as 14H30, no Largo da Feira(Vide).
 

Inscreve-te aqui, traz um amigo e ajuda-nos a divulgar!

Uma Estrela Viva precisa de todos!

Em que consistirá a acção?
A concentração terá lugar às 14H30, no Largo da Feira (Vide). Após a recepção aos participantes serão formadas equipas de trabalho que rumarão aos terrenos a reflorestar. Ao longo da tarde, com a ajuda de todos, esperamos plantar entre 400 a 500medronheiros e quase uma centena de sobreiros numa das encostas sobranceiras à aldeia. Serão ainda entregues cerca de uma centena de freixos e 150 carvalhos alvarinho a uma comunidade local e ao CISE, respectivamente, para plantação em data posterior. No final, haverá lanche comunitário na sede da União de Freguesias de Vide e Cabeça.

Como participar?
Para participar basta preencher, até 28 de Fevereiro, o formulário de inscrição(gratuita) e comparecer, no dia 2 de Março pelas 14H30, no Largo da Feira (Vide). É recomendável trazer roupa e calçado adequado (ex: botas) bem como luvas de jardinagem. A acção é aberta à participação de menores desde que acompanhados por adultos. Todavia, dada a inclinação do terreno, não é recomendável a participação de crianças pequenas ou de pessoas com dificuldades de locomoção.

Porquê na Vide?
A Freguesia da Vide, situada no vale da Ribeira de Alvoco (limite sul do concelho de Seia), na transição da Serra da Estrela para a Serra do Açor, é a freguesia mais afastada da sede de Concelho e por isso sujeita a forte isolamento. Ocupa uma vasta área (é a maior freguesia do Concelho de Seia) e, apesar da sua importância histórica (chegou a ser sede de concelho), tem vindo a perder população a ritmo aceleradoao longo das últimas décadas. Dos mais de 3 000 habitantes na década de 50, não restam hoje mais de 200. A este declínio não é alheia a substituição de uma economia rural baseada na produção agro-pecuária tradicional (oliveira, milho, centeio, batata) e na exploração da floresta nativa (castanheiro, sobreiro e azinheira – árvores originais, entretanto praticamente desaparecidas – mas também medronho e cogumelos) por uma economia baseada na monocultura de pinheiro bravo (para madeira e resina): o pinheiro bravo, que rapidamente se tornou a espécie dominante, tem entretanto vindo a ser severamente afectado por pragas (como o nemátodo) e, principalmente, pelo flagelo dos incêndios florestais (incluindo o de 2017) que assolam recorrentemente a região, deixando as encostas despidas, vulneráveis à erosão e ao repovoamento selvagem e desordenado por espécies invasoras e de fraco valor económico.

Porquê medronheiros?
O Medronheiro é uma espécie autóctone da região e uma das espécies que constituem a floresta primitiva da Península Ibérica. Adapta-se bem a diferentes solos e climas (com preferência por solos siliciosos de montanha), resiste bem à seca, a altitudes elevadas e.. ao fogo (tem, aliás, grande capacidade de regeneração após incêndios). O seu potencial económico é igualmente muito interessante, podendo o fruto ser consumido fresco ou usado, por exemplo, na produção da conhecida aguardente de medronho. Localmente, na região da Vide, o medronheiro era, até meados do século XX, bastante abundante, desempenhando a recolha do seu fruto um papel importante para a economia local e para a subsistência das populações. A produção anual de aguardente de medronho na região da Vide chegou a rondar os 60 000 litros e, ainda hoje, a apanha de medronho constitui uma actividade de relevo nalgumas aldeias da região.
    
A acção de reflorestação do próximo Sábado não resolverá estes problemas. Mas representará um contributo. E, acima de tudo, um rumo: 🌳 “VIDE que te quero VERDE” 🌳

Quem nos ajudou?
A acção de reflorestação “VIDE que te quero VERDE” é organizada pelo Movimento de Cidadãos por Uma Estrela Viva em parceria com a União de Freguesias de Vide e Cabeça e o Conselho Directivo dos Baldios da Freguesia de Vide. Conta ainda com um amplo leque de apoios, sem os quais esta não seria possível: a Associação Flor de Murta, de Palmela, e o Instituto Superior de Agronomia, de Lisboa, que em boa hora nos contactaram para a cedência de árvores autóctones; os “nossos”Padrinhos, angariados no Festival do Bosque e no Mercadinho de Natal; e, em particular, o casal “ibérico” Carolina Balão da Silva e Alejandro Chamizo de Castrol(e o António Villafaina Barroso, que intermediou o contacto), que há um ano decidiram trocar a oferta de brindes simbólicos aos convidados do seu casamento por árvores para esta Montanha que é de todos. A todos, o nosso MUITO OBRIGADO!
    
Junta-te a nós, vamos celebrar e ajudar a cobrir de verde a nossa montanha!

Por uma Estrela Viva!

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.